Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style6

PF apura lavagem de dinheiro após apreensão de R$ 116 mil em jatinho

A Polícia Federal abriu inquérito para investigar suposta lavagem de dinheiro após apreender R$ 116 mil em espécie em um jatinho no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, na noite desta terça (7). De acordo com PF, os três passageiros da aeronave eram Marcier Trombiere Moreira, que trabalhou na campanha do governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), o empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, dono de uma gráfica que também prestou serviço para o petista, e um homem identificado como Pedro Medeiros.

A Coligação Minas Pra Você informou que Moreira e a gráfica de Oliveira Neto foram desligados com o fim da campanha. Moreira prestou serviços de comunicação durante o período eleitoral. Ele também foi assessor do ministro das Cidades e pediu exoneração da pasta no dia 8 de julho deste ano. O G1 apurou que ele é servidor de carreira do Banco do Brasil e já chefiou a assessoria de comunicação do Ministério das Cidades. Oliveira Neto tem ligações com o PT e Pimentel e, em 2010, chegou a ser investigado por supostas ligações com a produção de dossiês contra candidatos do PSDB.

Em nota divulgada na tarde desta quarta (8), a coligação de Fernando Pimentel disse que "não pode se responsabilizar pela conduta de fornecedores" (leia a íntegra ao final desta reportagem). Também informou que, com o fim da campanha, todos os prestadores de serviço foram desligados.

O trio foi detido quando desembarcou às 19h30 desta terça-feira (7) no aeroporto, vindo de Belo Horizonte (MG). Agentes aguardavam os passageiros, após receber denúncia anônima. Eles prestaram depoimento na superintedência regional até as 3h e foram liberados.

De acordo com a PF, o jatinho pertence a uma empresa de táxi aéreo. A polícia considera que nem o piloto nem a companhia tenham envolvimento com o suposto crime. Um dos homens portava R$ 2 mil; o restante do dinheiro estava em mochilas e sacolas.

Por e-mail, o ministério confirmou a exoneração ocorrida há três meses. “Portanto, não pertence ao quadro de funcionários deste ministério. Qualquer atitude desta pessoa tem cunho e caráter pessoal sem nenhum vínculo com o Ministério das Cidades.”

Portar dinheiro em espécie não é crime, explica o consultor de segurança da TV Globo e ex-delegado da Polícia Federal Daniel Lorenz. Segundo ele, porém, a polícia tem “justa causa” para apreender os valores. Com base na lei de lavagem de dinheiro, cabe à pessoa que carrega o dinheiro provar sua origem legal, a chamada inversão do ônus da prova, explica.
Leia a íntegra da nota da coligação de Fernando Pimentel:
"Nota à imprensa

A propósito da detenção de um colaborador da campanha da coligação Minas pra Você ao governo de Minas Gerais é necessário esclarecer:

O senhor Marcier Trombiere prestou serviços de comunicação.

A Gráfica Brasil Editora e Marketing prestou serviços gráficos. As notas fiscais foram emitidas e as despesas serão declaradas na prestação de contas final da campanha.

A Coligação Minas Pra Você não pode se responsabilizar pela conduta de fornecedores.

A campanha foi encerrada no último domingo, data limite para a permanência de qualquer prestador de serviços na campanha. Pela natureza do serviço prestado pela empresa, a relação com a gráfica já se encerrara.

G1

IMAGEM INCRÍVEL DE TUBARÃO FEITA POR PROFESSORA VIRA SUCESSO NA WEB

Uma professora de artes de Nova Jersey, nos Estados Unidos, está fazendo sucesso nas redes sociais devido às incríveis fotos nas quais aparece ao lado de tubarões brancos. Amanda Brewer, de 25 anos, atravessou o mundo como voluntária em uma missão científica na África do Sul que lhe rendeu cliques inacreditáveis dos animais. "Não estava nem um pouco assustada", disse Amanda.

A ideia da organização White Shark Africa, dedicada à conservação dos tubarões e ao ecoturismo, era coletar informações e dados sobre a espécie.


Tubarão branco clicado por professora americana
Foto: Reprodução Internet

Amanda é uma entusiasta e amante dos tubarões, além de fotógrafa amadora. Ela esperava pelo clique certo e usou uma gaiola com iscas para atrair os animais. Amanda não teve que aguardar por muito tempo, logo um tubarão fêmea se aproximou da superfície bem à sua frente, com a boa aberta. A foto da professora acabo virando uma sensação na web.

"Quando você está na presença deles, não é assustador. Eles (os tubarões) são belos e graciosos, você pode ver como são inteligentes", comentou a professora impressionada.


Amanda Brewer não perdeu a oportunidade de fazer selfie com tubarão
Foto: Reprodução Internet


Fonte: O Dia Online

MÉDICA DE GRUPO ANTI-PT MINIMIZA HOLOCAUSTO A NORDESTINOS: 'É REVOLUÇÃO DO AGIR'

Uma das administradoras da comunidade "Dignidade Médica", revelada nesta terça-feira (7) por pregar holocausto contra nordestinos, afirmou à reportagem que o grupo com quase 100 mil usuários é um espaço reservado aos médicos para "desabafos". Patricia Sicchar, que se declara médica da Secretaria Municipal de Saúde de Manaus em perfil da rede social, diz que houve uma interpretação errada para o termo “holocausto” – que nada teria de violência física, mas indicaria uma mudança de postura política. "Holocausto é uma revolução do agir. Nada do que vocês [jornalistas] entendem."

Questionada sobre o conteúdo da página e os ataques diretos contra a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, Patricia interrompe: “Não somos contra a Dilma, somos contra a Bandilma”. Para a médica, tudo que pode soar como grosseria ou ofensas preconceituosas são “apenas desabafos”. “Ali se formou um grupo de consciência política que surgiu pelos piores meios”, explica ela, atribuindo ao atual governo federal todas as frustrações da classe médica.

Leia os comentários da página "Dignidade Médica" no Facebook:


Postagens do grupo 'Dignidade Médica' no Facebook com citações preconceituosas e discurso de ódio . Foto: Reprodução

Além do forte conteúdo contra nordestinos, recepcionistas, enfermeiros e eleitores do PT, muitos usuários, que se declaram profissionais da medicina, confessaram fazer campanha pelo candidato Aécio Neves (PSDB) nos próprios consultórios – públicos ou privados. “Consultório é um ambiente livre. Vocês [a imprensa] querem controlar o que digo aos meus pacientes também?”, rebate Patricia. “Nosso papel é informar que o paciente não tem remédio por causa do governo e que ele não vai operar pelo SUS por causa do governo.”

Após a publicação do conteúdo da página no iG, os administradores trocaram a foto de capa da comunidade, que estampava “Fora Dilma e leve o PT junto”, pela imagem com um estetoscópio com a frase “Dignidade Médica”. Além disso, ao menos 500 usuários deixaram o grupo. Um outro médico administrador, que pediu para não ser identificado, disse que a mudança na foto foi necessária para evitar novas invasões de perfis fakes, “criados provavelmente para desmoralizar o grupo”. “Queremos evitar polêmica e invasões. Nosso grupo não faz propaganda, é um grupo para discussão entre médicos”, defende.

Perguntado se há pluralidade de opiniões dentro do grupo, como a presença de médicos pró-PT, por exemplo, o segundo administrador afirma que eles poderiam se manifestar dentro da comunidade, "desde que seguindo as regras". "Apesar de não conhecer nenhum médico pró-PT ou Dilmista", garante, ressaltando que caso houvesse os debates poderiam ser construtivos.

Reprodução
Após reportagem do iG, administradores trocaram foto de capa da comunidade 'Dignidade Médica'

Para participar, os administradores exigem uma comprovação da formação médica e impõem dez "regras básicas". Entre os mandamentos do DM, estão proibidos a propaganda pessoal, de clínicas ou de serviços, o desrespeito entre colegas e o respeito ao foco principal do grupo. Segundo a regra número seis, "o foco principal não é discussões cientificas nem sobre Ciência Médica, mas sim a realidade da nossa causa atual, a urgente necessidade de resgatarmos nosso valor profissional, a remuneração digna, o respeito com o médico, melhores condições de trabalho e a união da classe".

Nota de repúdio anônima

Mais cedo, por volta das 15 horas, o iG recebeu por e-mail uma nota de repúdio ao portal. Apócrifo, com endereço de e-mail inválido e número de contato telefônico falso, o autor citou que o grupo de médicos, “cidadãos de bem”, se sentiram “atingidos em nossa honra” pela reportagem publicada. A reportagem tentou entrar em contato com os 13 administradores do grupo, mas até a publicação desta reportagem, apenas dois responderam.

Leia abaixo a íntegra da nota de repúdio ao iG:

“NOTA DE REPÚDIO À MATÉRIA ELEITOREIRA E SENSACIONALISTA DO PORTAL iG SOBRE A COMUNIDADE DIGNIDADE MÉDICA

Todos nós, médicos, cidadãos de bem, honrados e trabalhadores, nos sentimos ultrajados e atingidos em nossa honra pela espúria reportagem publicada ontem no portal iG e republicada por sites satélites que insinua de maneira falaciosa que todos os membros dessa comunidade estariam defendendo "holocausto" de nordestinos.

A matéria, infeliz do início ao fim, se alimenta de blogs apócrifos que por sua vez utilizam-se de postagens falsificadas e grosseiramente adulteradas e as toma como plena verdade dos fatos, sem ao menos procurar esta comunidade no intuito de oferecer uma versão de defesa, jogando na lama o nome de toda uma categoria profissional com acusações absurdas e inverídicas.

Asseguramos que nenhuma dessas postagens apócrifas saiu de dentro desta comunidade e, inclusive, estamos descobrindo alguns perfis falsos associados às mesmas, numa operação casada que tem como alvo atingir o candidato da oposição à Presidência, a categoria médica que se uniu contra os desmandos do atual governo e esta comunidade em particular, alvo da inveja da patrulha virtual do partido no poder.

Nós reiteramos aqui nossos sentimentos de repúdio a qualquer manifestação de cunho racista, preconceituoso, não permitimos isso e queremos deixar bem claro o nosso mais absoluto orgulho de poder aqui, conviver com nossos colegas do Nordeste, Norte, Centro-Oeste, Sul e Sudeste. Solicitamos que os autores das matérias jornalísticas, que não cumpriram seu ofício ao publicar como verdade matérias de blogs anônimos, que ao menos se retratem e publiquem esse direito de resposta, para o restabelecimento da verdade dos fatos.

GRUPO DIGNIDADE MÉDICA – FACEBOOK”

IG

JULIO IGLESIAS BEIJA VOCALISTA DA BANDA CHEIRO DE AMOR DURANTE SHOW



Julio Iglesias surpreendeu a vocalista da banda Cheiro de Amor, Vina Calmon, ao tascar um beijo na boca dela quando os dois dividiam o palco durante uma apresentação em Curitiba, na noite de quarta-feira. O cantor elogiou a voz de Vina e a convidou para participar do show que ele fará em Salvador

O Dia Online

AÉCIO EM CAMPANHA: FORÇA DE APOIO DE MARINA DIVIDE ANALISTAS

Em meio ao xadrez político que separa o primeiro do segundo turno, a Executiva Nacional do PSB aprovou, por maioria na noite de terça-feira (8), o apoio do partido a Aécio Neves (PSDB), que enfrentará a presidente Dilma Rousseff na etapa final da corrida eleitoral.

No primeiro turno, ocorrido no último domingo (5), a sigla foi representada na disputa pela ex-senadora Marina Silva, que substituiu o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo.

O anúncio ocorre em meio a definições por parte de outros candidatos que disputaram a primeira etapa das eleições presidenciais no segundo turno.

Eduardo Jorge, do PV, e Pastor Everaldo, do PSC, declararam apoio formal em Aécio. Já Luciana Genro (PSOL), a quarta mais votada, com 1,6 milhão de votos, afirmou que permanecerá neutra, mas convocou uma espécie de "antivoto" contra o tucano.

Todas as dúvidas agora convergem sobre quem Marina Silva, que não faz parte da direção do PSB e obteve 22,2 milhões de votos (21,32% do total), vai apoiar no segundo turno.

Mas apoiar um determinado candidato em detrimento de outro resulta em transferência de votos?

Especialistas ouvidos pela BBC Brasil não acreditam em uma transferência automática de votos entre candidatos - mas acham que um eventual apoio de Marina pode influenciar o eleitor.

"Se isso realmente existisse (transferência automática), Eduardo Campos deveria ter tido um alto porcentual de intenção de votos por ter Marina Silva em sua chapa como vice-presidente", afirmou à BBC Brasil Antonio Carlos Mazzeo, cientista político da Unesp em Marília. "Não foi o que ocorreu", acrescentou ele.

Antes do acidente que o vitimou, Campos aparecia como terceiro colocado nas pesquisas, com apenas 8% da preferência do eleitorado brasileiro.

Rafael Cortez, da Tendências Consultoria, concorda. Para ele, a transferência de votos entre candidatos não é "sistemática".

"O que determina o voto é a impressão que o eleitor tem do governo. Se ele tiver uma avaliação positiva, tende a votar no candidato governista. Caso contrário, vai preferir a oposição", disse Cortez.

"O processo de migração de votos não é automático; é resultado de uma construção política. Cabe ao candidato convencer o eleitorado e aglutinar em torno de si o maior número de pessoas que compartilhem de sua percepção", acrescentou.

"Além disso, existem outros fatores que precisam ser levados em conta, como o perfil do candidato apoiado. Tudo isso pode limitar uma eventual transferência de votos", concluiu.
Para onde vão os votos de Marina?

O professor Carlos Pereira, da Fundação Getúlio Vargas (FGV-RJ), faz uma comparação com a eleição de 2010 para avaliar o peso de um eventual apoio de Marina.

Em 2010, o segundo turno também foi disputado por candidatos do PT e do PSDB, após a eliminação de Marina do páreo no primeiro turno.

"Essas eleições (2014) têm um perfil diferente. O PT está com mais desgaste, a inflação de volta, o crescimento econômico pífio, existe um cenário mais desfavorável. Acredito que esse eleitorado vai esperar um pouco por um posicionamento dela (Marina)", disse ele.

"Se ela der sinais críveis, a grande maioria dos votos vai migrar para Aécio", disse. "Mas se não houver, mesmo assim, Aécio tem certa preferência desse eleitorado", acrescentou.

Mazzeo, da Unesp de Marília, discorda. Para ele, "o eleitorado de Marina não é o eleitorado de Aécio".

"Tanto Aécio quanto Marina tem eleitorados 'cativos'. Quem votou na ex-senadora não necessariamente votará no tucano, mesmo que isso represente a manutenção do PT no poder", afirmou o cientista político.

"Acredito que muita gente que votou em Marina vote nulo ou mesmo acabe votando no PT", acrescentou.

"Parte do eleitorado de Marina votou nela, pois a via como uma alternativa à polarização entre PT e PSDB. Ali se aglutinaram eleitores que queriam ver na presidência alguém que fugisse dos padrões tradicionais da política brasileira. Definitivamente para essa parcela da sociedade, Aécio – e por extensão o PSDB – não representa essa mudança. Pelo contrário, teme que o PSDB volte ao poder", concluiu.

Para Rafael Cortez, da consultoria Tendência, "a tendência majoritária é que o eleitorado de Marina vote em Aécio. A questão, no entanto, será a magnitude dessa migração".

Segundo ele, quem votou em Marina demonstra "insatisfação" com o atual governo. Nesse sentido, pode apoiar o tucano na tentativa de "tirar, a todo custo, o PT do poder".

"Claramente, Aécio é a figura da oposição. Mas o tucano precisa não só atrair os eleitores de Marina para si, quanto capturar os votos daqueles que votaram em Dilma no primeiro turno mas ainda não sentem suas necessidades plenamente atendidas pelo governo atual", acrescentou Cortez.

Na avaliação de Mazzeo, um eventual apoio formal de Marina a Aécio pode prejudicar a imagem política da ex-senadora.

"Se Marina apoiar Aécio, ela estará desdizendo o que falou em 2010. Seria uma incongruência com 'a nova política', defendida pela ex-senadora. E isso certamente terá um impacto negativo em seus eleitores cativos", afirmou.

Quando Marina Silva ficou em terceiro lugar em 2010, decidiu pela neutralidade no segundo turno.

A ex-senadora entrou na disputa de 2014 após a morte de Eduardo Campos em um acidente aéreo em agosto. Foi direto para um robusto segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, tornando-se ameaça real à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Em ascensão, tornou-se alvo de ataques do PT e do PSDB, o que ajudou a ruir o apoio que tinha e a tirá-la do segundo turno.

Os votos de Marina são essenciais para Aécio - especialmente no Nordeste, onde ela esteve à frente dele em diversos Estados.

Em Pernambuco, por exemplo, a ambientalista saiu-se vitoriosa. É exatamente nesta região onde está grande parte do apoio que tem dado sustentação às vitórias do PT para a Presidência.

"Esses votos são importantíssimos", disse Ricardo Ismael, cientista político da PUC-Rio. "Se dividir os votos (como em 2010), não muda nada. É nisso que Dilma vai trabalhar nos próximos dias. Aécio vai tentar consolidar isso. Ele precisa do apoio e um bom programa de TV".

BBC Brasil